Origem do Ponto cruz {história}

Ponto de cruz é uma forma popular de bordado em fios contados na qual os pontos no formato de X. O artista conta as linhas da trama do tecido que deve ter a trama uniforme (como o tecido de linho) em cada direção, de modo que os pontos fiquem de tamanho e aparência uniformes. Esta forma de ponto de cruz é também chamado ponto de cruz contato, a fim de distingui-lo de outras formas de ponto de cruz. Por vezes, o ponto de cruz é feito sobre desenhos impressos no tecido; o artista simplesmente faz os pontos sobre o padrão impresso. O ponto cruz também é executado facilmente em um tecido de fios contados chamado de aida (etamine), de modo que as tramas do tecido não precisam ser contadas de fato.

História

O Ponto Cruz originou-se em uma época muito antiga, não existindo relatos precisos do surgimento desse bordado.

Alguns estudos indicam que seu surgimento ocorreu há pelo menos 5.000 anos e outros sugerem que o bordado apareceu com os homens das cavernas.

Acredita-se que o Ponto Cruz pode ter realmente surgido na era pré-histórica e serviria para que as vestimentas com peles de animais fossem costuradas.

Naquela ocasião, eles usavam o osso para fazer as agulhas e a linha era feita a partir de tripas de animais ou fibras vegetais, ou seja, o material disponível no momento.

Nos túmulos dos egípcios foram encontrados restos de linhos, que datam de aproximadamente 5.000 a.C, e que comprovariam que os antigos usavam esse tipo de ponto para cerzir Coser (parte gasta ou rasgada de um tecido) de modo que mal se notem as costuras, suas roupas.

O ato de realizar o Ponto Cruz se reduz a passar um fio de linha de bordar sobre o outro formando uma cruz e repetindo continuamente o movimento até formar um desenho.

Em 850 A.C, na Ásia Central foram encontrados trabalhos completos de Ponto Cruz.

Os motivos multicoloridos e sombreados como conhecemos hoje são um desenvolvimento relativamente moderno, decorrente de padrões sombreados semelhantes de trabalhos em lã de meados do século XIX em Berlim. Além de desenhos criados expressamente para o ponto de cruz, existem softwares que convertem uma imagem, pintura, ilustração ou fotografia em um gráfico adequado para bordar. Um exemplo impressionante está na reprodução em ponto cruz da pintura da Capela Cistina mapeada e executada por Joanna Lopianowski-Roberts.

Os primeiros materiais
No século 16, o bordado em ponto cruz era feito com fios de seda ou de lã sobre tecido de linho. A linha de algodão que conhecemos agora, praticamente não existia, e muito menos sua grande variedade de cores. Por isso, os monogramas não tinham a rica aparência que conquistariam posteriormente. Datam também desta época, os primeiros esquemas, impressos na Alemanha e na Itália, para serem vendidos em toda a Europa. Antes desta iniciativa, a única que se conhece é o livro publicado na França por volta de 1580, La Clé des Champs (A Chave dos Campos), trazendo motivos de flores e animais, além de temas de heráldica. Com os motivos impressos distribuídos largamente, o ponto cruz descobre uma nova vocação: além do uso pedagógico passa a ser adotado também como hobby. Sem dúvida, seu potencial de mercado logo foi notado e os produtores de material para bordar certamente sonhavam em poder oferecer novas cores de fios às habilidosas compradoras. Mas tiveram que esperar o próximo século para isso acontecer.

Atualmente o fio de algodão é a linha de bordar mais comuns. O fio é um fio de algodão mercerizado, composto por seis fios que são levemente torcidos juntos e facilmente separáveis. Embora existam outros fabricantes, as duas mais comuns (e mais antigas) são DMC e Anchor, ambas fabricam fios de bordar desde 1800.

Tendências

Ponto-cruz tornou-se cada vez mais popular com a geração mais jovem do Reino Unido nos últimos anos. A Grande Recessão, crise econômida de 2007-2008, tem visto uma renovação do interesse em artesanato. Varejistas tais como a John Lewis notaram um aumento de 17% de vendas de produtos entre 2009 e 2010. A Hobbycraft, uma cadeia de lojas de venda de materiais para artesanato, também tiveram um aumento de 11% nas vendas em relação ao ano passado.
O tricô e ponto cruz tornaram-se passatempos mais populares para um mercado de jovens, em contraste com a tradicional reputação de ser um hobby de aposentados.

Fontes:
Wikipédia, a enciclopédia livre.

Finalizando com acabamento {dicas}

Gente, este acabamento é incrível. Achei super bacana a maneira de finalizar o bordado e fica muito bem acabado. Dá um pouquinho mais de trabalho, mas fica impecável.

Siga os passos e faça o seu. Depois mande uma foto pra gente dizendo como foi.

bjs

LittleDorrit_3_1Primeiro, separe seu bastidor e use o anel interno, marque ao redor do seu feltro branco e, em seguida, do lado de fora no feltro que vai ficar atrás, exposto. Corte esses círculos.

LittleDorrit_3_2

LittleDorrit_3_3

Enrole seu bordado no bastidor com a costura bem colocada e o tecido suave e tenso (aperte o parafuso o máximo que puder!), Depois corte o tecido em torno de aproximadamente 5 cm maior que o aro. (Não se preocupe muito com o círculo perfeito, essas arestas serão escondidas mais tarde).

Vire seu bastidor e coloque o feltro branco dentro do aro interno, na parte de trás do seu bordado.

LittleDorrit_3_5

Ponha o fio na agulha, prenda um nó grande no final e comece a fazer o alinhavo. Faça uma costura ao redor da borda, então puxe-o com força, costurando um nó para fechá-lo. Mais uma vez, isso será coberto, portanto, a perfeição não é necessária, este passo é apenas pra segurar o tecido bordado.

LittleDorrit_3_6

Agora, costuraremos o nosso círculo de feltro maior na parte de trás, cobrindo todas as extremidades do fio e bordas em excesso no processo.

Passe em sua agulha duas linhas de fio de bordar, em seguida, coloque um pequeno ponto em seu tecido recolhido, saindo diretamente na borda.

LittleDorrit_3_7

Coloque seu círculo de feltro para baixo e comece costurando-o ao tecido cortado através de ambas as camadas, fazendo seu primeiro ponto a cerca de 0,5 cm de distância de onde você começou. Certifique-se de pegar seu fio sob sua agulha no caminho! Continue assim por toda a volta.

LittleDorrit_3_8

Quando voltar para o início, encontre-se com o seu primeiro ponto para criar um círculo contínuo, costurar um nó e depois enterrar a extremidade do fio sob o feltro.

LittleDorrit_3_9

LittleDorrit_3_10

E você está lá! Agora, sente-se e admire seu trabalho!

Fonte: http://www.sewmamasew.com/

TIPOS DE TECIDO { básico }

ETAMINE

etamine

Etamine é o mais popular dos tecidos para bordar, pois serve para qualquer tipo de peça de decoração ou uso pessoal.

É recomendado fundamentalmente para bordar ponto cruz, entretanto aceita qualquer outro ponto que se queira bordar (ponto cheio, ponto atrás, ponto reto, vagonite, etc).

É o preferido pelos iniciantes no bordado, pois os fios formam blocos (quadradinhos) bem definidos, que facilitam a contagem dos pontos (neste tecido cada ponto é feito sobre um quadradinho).

As experts em bordados, também o utilizam, devido a facilidade e o aproveitamento do bordado.

A trama do tecido é composto de 4 (quatro) blocos de fios/cm, muito bem definidos facilitando a contagem dos pontos e por isso adapta-se bem a maioria dos bordados.

Há também os etamines estampados, metalizados, com brilho e até com marcações quadradas para jogos de cozinha.

MICRO-ETAMINE

micro_etamine

O Micro-Etamine é recomendado para trabalhos mais delicados, pois devido a estrutura do tecido oferece maior perfeição, ideal para enxovais infantis, cama e banho.
Neste tecido os fios, também, formam blocos (quadradinhos) bem definidos, que facilitam a contagem dos pontos (neste tecido cada ponto é feito sobre um quadradinho).
A trama do tecido é composta por seis blocos de fio/cm, muito bem definidos, facilitando a contagem dos pontos e por isso adapta-se bem a maioria dos bordados, entre eles: ponto cruz, meio ponto cruz, nó francês, ponto atrás, etc.

 

estilotex__lavagem_etamine

CÂNHAMO

canhamo_G

Cânhamo fino tem a trama fechada, sendo indicado para motivos mais delicados (toalhas de lavabo com bordados em ponto cruz e ponto cheio), com contornos feitos por pontos fracionados.
Cada ponto é trabalhado sobre dois fios na horizontal e dois na vertical, formando um quadrado, ou então um a um nos dois sentidos, exigindo muita atenção e paciência na contagem dos pontos.
Utiliza-se dois fios de linha mouliné na agulha, o que reduz o desenho, obedecendo as mesmas medidas do Etamine.

Cânhamo grosso é próprio para hardanger, sendo recomendado em toalhas de mesa e peças menos delicadas e para a confecção de peças mais estruturadas como: cortinas, sacolas e bolsas.
Essas peças necessitam de um tecido mais resistente e o cânhamo grosso tem fios encorpados e de fácil contagem, o que permite fazer trabalhos mais rápidos e vistosos.
Maior utilização: cortinas, mantas de sofá, jogo americano, sacola, quadros.
Deve-se contar 2×2 blocos de fios, formando o quadrado, obedecendo às medidas do etamine..

estilotex__lavagem_canhamo

Para avançadinhos

TALAGARÇA FINA E GROSSA

talagarca

Além da trama aberta, este tecido é engomado de maneira a deixá-lo firme como uma tela.

Em razão da goma, este tecido só é comercializado em rolos (não tendo a opção de enfestá-lo em tabuleiro).

É bastante utilizado como suporte para bordar em tecido de trama fechada, mas é muito empregado na confecção de bolsas, sacolas, caixinhas para lembrancinhas de casamento, acessórios para brinquedos, etc.

estilotex__lavagem_talagarça

LINHO

Tecidos de linho são úteis para os amantes avançados de ponto de cruz. O tecido pode ser completamente de linho ou uma mistura de fios. As contagens de tecidos de linho tendem a ser mais elevadas, podendo chegar a 55. Normalmente você dá pontos em linho trabalhando com duas linhas. À semelhança de outros tecidos de ponto de cruz, os de linho vêm em uma variedade de cores.

fonte: Estilotex

Kit básico para começar { básico }

Neste post vou falar o básico, o que você vai precisar pra começar a bordar, sem segredos, sem dificuldades, apenas para que você entre no mundo ponto cruz. Em outros posts detalharei cada um dos acessórios necessaries e aos poucos, vamos evoluindo.

O que precisa comprar de imediato: agulhas, linhas, tecidos, tesourinha e talvez bastidor. Digo talvez, porque eu, por exemplo, prefiro bordar segurando o tecido. Mas ai, você vai precisar achar o seu jeito.
kit_basico

AGULHAS: As agulhas usadas para o ponto cruz são as de ponta mais redondinhas, mas cuidado pois elas podem ser confundidas com as agulhas de tapeçaria ou lã. Elas tem algumas espessuras e comprimentos diferentes: 22, 24 e 26, quanto maior o número, mais fina a agulha. Para você saber qual vai usar, vai depender do tecido e desenho que vai fazer pra escolher qual a agulha adequada. Quanto mais fino o tecido (com quadradinhos menores) e a linha, mais fina sera a agulha.

LINHAS: As linhas para o ponto cruz tradicional são as de algodão, tipo mouliné. Você vai encontrar centenas de tons, cores metalizadas, mescladas e opacas. Cada marca e cor tem um código diferente e as mais famosas no mercado são a Anchor (Coats Corrente), DMC e Máxi Mouliné que, ao longo do tempo, não desbotam fácil e deixa o bordado mais duradouro.
Sempre encontrará uma legenda de cada cor nos gráficos dos desenhos de quando for bordar e, pra garantir a fidelidade ao desenho, siga as legendas e compre as cores marcadas.
Para você que está começando, compre as linhas meadas, que é um punhadinho de linha, assim você vai usando na medida que precisa.
Cada meada de linha mouliné vem com 6 fios, mas você vai separar 2 ou 3 fios para bordar apenas.

TECIDOS: O tecido mais comum para ponto cruz é o etamine, pois é bem demarcado onde vc deve entrar com a agulha. O etamine tem tamanhos diferentes de trama como: 3, 4, 5, 6, 7 e 8 que é a quantidade de fios por centímetro.
Outro bastante comum é o cânhamo que tem a trama mais aberta e por isso, é mais bacana trabalhar com 3 ou 4 fios pra ficar mais preenchidinho.
Você vai encontrar estes tecidos em várias cores, basta ver o que combina com seu motivo.

BASTIDOR: O clássico aro redondo para prender o tecido. É muito usado por americanas e britânicas, mas eu particularmente não gosto, me atrapalha, pois você acaba não segurando o tecido, dificulta a passagem da agulha que precisa passar pela frente, pegar a agulha no verso, voltar pra frente e ai, isso cansa e demora, rs. Mas sempre há quem se adapte e goste por ser mais fácil de contar os pontos e ver o desenho como um todo.
De qualquer forma, pra quem está começando, acho que vale a pena tentar até pegar o jeito.

TESOURA: Na verdade qualquer tesoura bem afiada resolve, mas gosto daquelas pequenas, pois é mais prática na hora do manuseio e faz menos volume.

Outros acessórios:
• cartelas plásticas para enrolar as meadas de linha. Ah, sempre marcar o número da cor.
• caneta para marcar tecido. É uma caneta especial para bordado, onde a tinta sai sozinha ou com água.
• caixa com divisórias pra você guarder as cartelas e outras coisinhas.

SAIBA COMO MEDIR O TAMANHO REAL DO SEU BORDADO { básico }

{ Escolha do tecido/trama x tamanho do bordado }

Quando você começa a bordar é normal querer fazer várias coisas, como toalhas, panos de prato, almofadas, enfeites e afins, mas se esquece que tudo vai depender do tamanho do desenho que quer e isso influencia no tecido escolhido e, consequentemente, na contagem e cálculos necessários para isso.

Para que não aconteça nenhum desastre ou gastos de tempo e recursos seus, segue abaixo um cálculo que vai ajudá-la a transformar pontos em centímetros e saber qual o tamanho real final do seu bordado.

CÁLCULO:

Divida a largura e a altura do motivo (medida em pontos, que estão sempre ao lado de cada gráfico) pelo número de pontos da trama do tecido escolhido.

Largura do motivo: 9 pontos

Altura do motivo: 8 pontos

Tecido: 4 pontos por centímetro (mede-se a trama com fita métrica)

Cálculo: 9 ÷ 4 = 2,25 cm | 8 ÷ 4 = 2 cm

Resultado: 2,25 x 2 cm

Para cada bordado é preciso fazer o cálculo, já que o tamanho muda conforme a trama de cada tecido. Mas se você não quer perder tempo com cálculos, use a tabela abaixo, na qual vai encontrar as medidas em centímetros em vários tecidos. Basta cruzar as medidas.

TABELA:

Trama do tecido (pontos por cm): com uma fita métrica, conte quantos fios por centímetro tem o tecido escolhido. Ex.: 4

Medida do motivo em pontos: localize na coluna da tabela a medida que você encontra ao lado do gráfico. Ex.: 9 pontos de largura e 8 pontos de altura

Medida final do motivo em centímetros. Nesta célula você encontra, em centímetros, a medida em pontos. Ex.: 2,5 cm de largura e 2 cm de altura

Neste exemplo, se temos um motivo com trama de tecido 4 e com a medida do motivo sendo 9×8 pontos, a medida em centímetros no bordado real será de 2,5x2cm.

tabela_medida_grafico

tabela_medida_grafico2

 
*Para medidas acima de 100 pontos (por exemplo 120×120), anote os centímetros da última linha da tabela (25,20,16,5 ou 14,5), volte para o início, percorra a tabela novamente até o número desejado e acrescente os centímetros (5,4, 3,5 ou 3) à medida anterior e some as duas medidas finais.

DICAS PARA UM BORDADO CAPRICHADO

Acho que dicas são sempre bem-vindas e não custa dividir o que a gente acha por ai, né?!

Pelo blog da Edayne Oliveira vi algumas dicas para um bordado bonito e bem acabado.

Então, veja e me diga o que acha!

• Lave as mãos antes de iniciar o trabalho e sempre que perceber que estão suadas, para evitar que o suor manche o trabalho

• Guarde o trabalho em uma sacola ou cesta apropriada quando não estiver bordando, para protegê-lo da poeira, respingos, etc

• Use fios de aproximadamente 45 cm de comprimento, para evitar que os fios formem nós, fiquem torcidos ou desfiem quando estiver bordando

• Lave cada trabalho separadamente. Prepare o molho com água na temperatura de 60°C em grande quantidade e assegure que o sabão seja neutro e esteja completamente dissolvido antes de mergulhar o trabalho

• Enxágue o trabalho diversas vezes em água corrente abundante

• Não devem ser usados nenhum tipo de branqueador e/ou alvejante óptico no trabalho

• Não torça o trabalho. Enrole entre duas toalhas ou outro tecido bem absorvente na cor branca, espremendo gentilmente, sem torcer. Não deixe que o trabalho enrole sobre si mesmo

• Se desejar engomar o trabalho, prepare a goma seguindo as instruções do fabricante. Mergulhe o trabalho inteiramente na solução, deixe alguns minutos e retire deixando escorrer bem. Não torça o trabalho, proceda como mencionado acima para tirar o excesso de água

• Desenrole e estenda o trabalho sobre uma toalha em superfície plana. Nunca deixe o trabalho úmido dobrado ou empilhado

• Passe o trabalho entre duas toalhas ou outro tecido na cor branca com o lado direito do bordado voltado para baixo. Use o ferro de passar não muito quente

Mais uma dica para você: compre sempre a quantidade necessária de meadas para fazer todo o trabalho, pois podem haver diferenças entre os lotes de tingimento.

DICAS DE LINHAS, TECIDOS E AGULHAS:

Com esta tabela abaixo, vai ficar mais fácil fazer as combinações de linhas, tecidos e agulhas.

tecidos-linhas-agulhas-01

Você pode bordar em diversos tipos de tecidos, com vários tipos de agulha e, também, com muitos tipos de linhas. Se você usar a agulha certa para o tecido e o fio certo para a agulha, os resultados do seu trabalho ficarão, com certeza, bem mais bonitos. Você pode bordar com as agulhas Tapestry Corrente ou Darning Corrente. As agulhas Tapestry não tem ponta e são indicadas para bordado sobre tecidos de fios contáveis. Já as agulhas Darning devem ser utilizadas quando você estiver bordando em um tecido que não permita uma contagem de pontos.

DICAS DE NÚMERO DE AGULHA ADEQUADO:

Já nesta tabela, você encontra o número referente a cada marca de agulhas e para qual quantidade de fios.

linhas-agulhas-02

Estas são apenas sugestões para você. Entretanto, a escolha pode ser diferente, de acordo com a experiência e/ou preferência de cada pessoa que estiver bordando.

Fonte: Dicas linhas Anchor e do blog da Edayne

Comece com o básico { passo-a-passo }

AGULHAS: Você poderá usar agulhas sem ponta de números 24 e 26. Não utilize agulhas grossas para tecidos de trama pequena. A figura à esquerda mostra como introduzir a linha na agulha.

PONTO CRUZ BÁSICO: Arremate a linha no tecido, comece com movimentos debaixo para cima, fazendo uma carreira de ida até o espaço indicado pelo gráfico a ser bordado. Depois volte fechando com a agulha de cima para baixo, concluindo assim o ponto cruz.

BORDANDO UM PONTO POR VEZ: Se você está usando linhas variadas ou fazendo pontos isolados, você deverá completar um ponto por vez. Fazendo o ponto como na figura ao lado, a linha no avesso do tecido ficará na horizontal, tendo assim um avesso limpo. Atenção! Não pule mais que 3(três) ou 4 (quatro) quadrados de trama para iniciar outro ponto, porém se necessário, corte a linha e inicie outro ponto, para que o avesso não fique cheio de caminhos de linha, tornando assim o avesso limpo.

MEIO PONTO (¾ de ponto e ¼ de ponto): Para fazer esse ponto, saia com a agulha de um dos cantos do quadrado e continue com o ponto normal. Borde uma carreira de ida até chegar o lugar indicado pelo gráfico e faça o meio ponto no quadrado fechando para o sentido que estiver indicando no seu gráfico.

PONTO ATRÁS (contorno): Arremate a linha no avesso, introduza a agulha para o direito do tecido, puxando a agulha um quadradinho a frente do lugar de onde saiu antes. Trabalhe seguindo como na figura ao lado. Geralmente usa-se 1(um) fio de linha.

NÓ FRANCÊS (rococó): Arremate a linha no avesso do tecido e passe a agulha para o direito do tecido. Introduza a agulha em um fio de trama, mas não puxe a agulha. Dê 2(duas) laçadas na linha em torno da agulha, segure firme as laçadas dadas e puxe a agulha. Após feito isso introduza a agulha para o avesso do tecido por outro fio de trama, próximo ao que você introduziu.

ARREMATE: O arremate do ponto cruz básico é feito da seguinte forma: No avesso do tecido, passe a linha por dentro de vários pontos pela trama na diagonal, para deixa-lo mais seguro, evitando que o ponto escape ao lavar.

fonte: Portal do Ponto Cruz

pontos